quinta-feira, 12 de março de 2009

SURPREENDENTE


Eu olho à volta e noto a profunda incapacidade que existe hoje em dia de surpreender.

Vou falar como mulher, porque é isso que eu sou e portanto só posso falar do ponto de vista do meu género. Mas acho que, provavelmente, os homens sentem a mesma coisa.

Talvez eu seja uma romântica antiquada e só agora esteja a descobrir isso mas gosto de ser surpreendida por um homem. Gosto de receber flores, gosto de surpresas, gosto que me surpreendam – e desta vez não estou a falar de sexo – e de sentir que essa surpresa é uma demonstração de afecto.

A sensação que tenho, é que hoje em dia as relações vão-se instalando nas vidas das pessoas. Conhece-se alguém, janta-se, dá-se umas quecas, e quando damos por ela, já ele está instalado lá em casa e na nossa vida.

Muitas vezes não porque nos tenha conquistado, mas sim porque agiu como os sem-terra: apossou-se.

A minha questão é: E a emoção? E as borboletas no estômago? E aquela sensação de que cada dia é único e especial com aquela pessoa?

Eu devo ser uma pessoa muito exigente e difícil de surpreender porque a última vez que um espécimen viável do sexo masculino me surpreendeu foi para aí há uns 8/9 anos e olhem que sou sincera quando vos digo: que saudades tenho dessa sensação.

E as minhas amigas depois dizem-me: Como és assim esquisitinha, estás sozinha.

Não será aqui que se aplicará a sabedoria das nossas avós com um toquezinho moderno?

Mais vale só do que acompanhada única e exclusivamente com medo da solidão.

Digam-me lá, gaijas e gaijos, quando foi a última vez que vos surpreenderam daquela forma que vos deixou a pensar: Uau!!! Por estas e por outras é que eu não o/a largo!!!!

13 comentários:

Artur disse...

Pois é, pois é, a minha Rosalina tem uma sorte do caraças!

Mente Quase Perigosa disse...

A Rosalina que 'apreceie'!!!!

Loira disse...

Dias dos namorados... dps de termos combinado q não haveria troca de presentes, o gajo aparece-me com uma continha pandora, depois de ter ficado 45 minutos à porta do centro comercial à espera que abrisse :D (tinha saído às 9 e qualquer coisa da manhã).

Mae Frenética disse...

Querida mente perigosa, tudo depende das alturas. Há alturas em q me sinto assim, outras não.

Uma coisa tenho a certeza: tb depende muiito de nós...

Mente Quase Perigosa disse...

Fren: Ah pois depende... Mas eles se tiverem queixas a fazer que se cheguem à frente. Eu hoje tou mesmo numa de Calimero!!!! Mas isto se calhar são quase 10 anos de surpresas desagradáveis e nada de surpresas agradáveis a falar! ;o)

Loira: Tu agarra-o!!!!

Abelha disse...

E assim muito depressa...deixou a pasta de lado e tratou-me como uma rainha.
E olha que eu quando estou doente sou uma rainha muito refilona...

ptc disse...

uuuuuuuuuiiiiiiiii,há tanto tempo que não sinto isso também, e concordo que sem essas "surpresas", sem esse demonstrar de carinho/paixão/tesão/e-todas-as-outras-coisas, a paixão apaga-se, ou pelo menos fica tão fraquinha que nos dispomos a deitar tudo para o alto e ir em procura de quem a acenda de novo.

Mas não ligues ao que eu digo,afinal também estou sozinha...

magda disse...

em relação a prendas por ex: nunca trocamos prendas quando "devemos" tipo natal aniversarios, mas em compensação as vezes debaixo da almofada apareçe algo.... por isso todos os dias ambos metemos as mãos debaixo da almofada :) as vezes são surpresas agradaveis outras vezes não :P
hehhehehehe
é acho que eu sou uma sortuda, tenho ao meu lado um amigo/companheiro/amante/marido

Carla disse...

Concordo contigo, não há nada melhor do que aquela sensação na barriga, aquela ansiedade por o voltarmos a ver... uma relação sem pequenas surpresas torna-se monotona... e lá se vai a relação

Posh disse...

"A sensação que tenho, é que hoje em dia as relações vão-se instalando nas vidas das pessoas. Conhece-se alguém, janta-se, dá-se umas quecas, e quando damos por ela, já ele está instalado lá em casa e na nossa vida."

Por acaso nao tenho essa ideia, bem pelo contrario. acho que agora ja se perdeu essa "moda" do irem viver logo juntos ou entao assumirem logo qualquer coisa. pelo menos, segundo a minha experiencia e por aquilo q me rodeia, o que vejo é: conhecer-jantar-quecar-quecar-txau!

"A minha questão é: E a emoção? E as borboletas no estômago? E aquela sensação de que cada dia é único e especial com aquela pessoa?"

Acho que isso se perdeu, de facto tens razao. Ja nao ha romances como antigamente, é por isso q as tuas amigas tb te xamam esquisita :p

E quanto à pergunTA do post... por acaso comecei 2009 com uma agradavel surpresa. ainda que as coisas nao tivessem corrido da melhor maneira, era algo que nao estava destinado a ter pernas, mas que enquanto durou foi uma boa surpresa.

bjoca.

Salta Pocinhas disse...

No dia da mulher.
Acordei com eles a abrirem o estore e destaparam-me a cabeça. Abri um olho e vi-o de tabuleiro de pequeno almoço na mão e uma rosa.
Foi uma bela surpresa :)
Mas já não era surpreendida há muito tempo...
beijooooo

Visconde de Vila do Conde disse...

Foi no casino. Tinha acabado de jogar tudo no seis vermelho e saiu o oito preto. Ela estava no bar e trouxe-me um gin tónico. Disse-me que eu estava a precisar de apanhar ar. Acabámos em Casablanca, era o primeiro voo do dia.

Mente Quase Perigosa disse...

Lá diz a minha amiga Loira: eu ando mesmo é nos sitios errados...