segunda-feira, 9 de março de 2009

E DAÍ TALVEZ NÃO


Mais um fim-de-semana sem o besnico.

Mais um fim-de-semana no hospital.

E chego a casa, o Falecido leva o Projecto a casa e assim que sai, o pirralho olha para mim e diz:

"Mamã, podes-me tomar banho?"

"Queres tomar banho, amor? Mas o pai não deu banho?"

"Não. Podes tomar-me banho?" E acto contínuo começa a descalçar os sapatos que, por acaso, estavam ao contrário...

Liguei ao pai da criatura. Ai que não reparei que lhe tinha calçado os sapatos ao contrário (sim, foi ele que lhos calçou... Eu ainda achava que tinha sido mesmo o Projecto e ele só não tinha reparado...) e não, nunca lhe dou banho que ele não quer... (no comments)

Dou banho, creme, secador... "Num quero xecador... Deixa-me... Quero o meu pai!" (facada nº 1)

Conversinha... O pai está na casa dele... Já passaste o fim-de-semana com o pai... Parece aceitar... Afinal, nem por isso... "Num quéio xecar o cabelho. O pai num xeca o cabelho... Quéio o pai" (facada nº 2. Pois, mas o pai também não dá banho, n'é? Isso fica para a megera da mãe... Só pensei. Não disse, mas tenho um corte na língua...)

Passados os dramas do que eu faço e o pai não faz, lá se deitou. Agarrado a mim.

Hoje de manhã: "Vamos à páia?" Não, vamos para a escola. "Então quéio o pai..."

Okay, eu sou uma gaija minimamente inteligente, o que se passa aqui é simples: o pai é o porreiraço que lhe faz as vontades todas e o leva a passear. Eu sou a megera que lhe impõe as regras e o leva para a escola, certo?

Olha, merda...

Chego à escola, depois de muita conversa apaziguadora com ele. Educadora à porta"oh mãe, logo gostava de falar consigo um bocadinho. Pode vir mais cedo?"

Agora deixa lá ver o que vem aí.

Estou cansada, aliás, a palavra mais correcta é mesmo exausta e sinto que estão a usar isso contra mim.

Nestas alturas, acho que se calhar teria sido melhor para todos ter continuado casadinha. Podia ser infeliz mas a minha vida era bem mais facilitada. Sei que é um pensamento parvo, estúpido e idiota, mas têm que ver que é uma gaija com uma média de 4 horas de sono por noite há 4 meses que vos escreve...

27 comentários:

nocas verde disse...

Querida MQP,
obrigada pela visita... e muito obrigad apela força.

por aqui também desejo força... e, se servir de algum consolo, breve, breve o Projecto reparará que amãe não é a megera. As regras são tranquilizadoras (digo eu do alto dos olhares facínoras que as minhas Crias me enviam por cada regra que lhes imponho :)). O processo de megera é difícil mas necessário, acredite!
beijo e força!

Artur disse...

Olha, eu detesto ser daquele tipo de pessoa que dá conselhos porque sabe tudo, mas já fui pai e mãe solteiro, e sou pai nas mesmas condições que tu agora és mãe.
Pelo menos partilho o que aprendi nestes anos:
Ao teu filho explica que "em casa do pai, regras do pai, em casa da mãe regras da mãe". Mais nada. O puto não tem voto na matéria. O que se passa em casa do pai tu não queres saber, o que se passa em tua casa o pai não mete a colher.
Se o pai não dá banho ao puto é um problema dele (pai). Ninguem morre por não tomar banho ou ter os sapatos trocados. O puto que aprenda a ver essas merdas. Chama-se a isto crescer.
Acredita que o que te estou a dizer é o melhor para o teu puto e o melhor para ti. Cada macaco no seu galho, e acredita que os putos sabem lindamente gerir isso. Sabe tão bem, que até sabe que te lixa o juízo ao dizer "quero ir para casa do pai".
Dorme. A privação de sono tem essas coisas. Dorme.

Loira disse...

Gaja, peloamordedeus, não digas isso. É difícil, sim. Mas tu vais conseguir. O comentário do artur foi sábio. E, acredita, o projecto sabe que tu não és a má... diz isso mas da boca para fora. As crianças gostam de regras e precisam delas.
Um beijinho. És uma heroína, uma super-mulher. A sério. És.

calamity jane disse...

Esse filme é-me tão, mas tão familiar, q até sei o q vem a seguir. Mas não conto!

Estou a brincar... Olha, uma excelente notícia é q o teu filho é gaijo e daqui a uns anitos vai dar-te tanto, mas tanto valor, q até vais achar q é demais. Tou a falar a sério. Pior era se fosse gaija, q teria aquela paixão pelo pai... Vais ver q o q te digo é verdade. O teu puto é apaixonado por ti e, sim, tens o papel ingrato mas tem coragem e paciência e continua a ensinar-lhe o q está certo. Aos 11 o meu é o gaijinho mais respeitador das mulheres e gaijas da idade dele q eu já vi.
Força!

I disse...

Força muita força!

Quem me dera a tua coragem...

Eu sou filha de pais divorciados e às vezes tb faziamos essas maldades à minha mãe, mas era só para chantagear e irritar...
Acredita tu é que estas no bom caminho, daqui as uns anos ele vai agradecer-te por isso.

Beijos
I.

( uma leitora assídua mas silenciosa)

Mae Frenética disse...

O meu tb me diz isso e nos somos casados. E eu tb me sinto sempre a "bruxa má". LOLOL

Acho q é a "tradição", a mae acaba por passar mais tempo com o filho, logo assume mto mais a educação. e eles gostam, acredita, gostam mesmo de regras.

Baguigolas disse...

Estou como a Fren, a minha diz o mesmo e somos "casados". E o pai tem um habito estranho de só lhe dar comer qdo quer, obrigar a ir para a cama qdo quer, e desligar a tv qdo já não quer. Ah pois, dá mto menos trab. E eu, que até sou teimosa e tal, lá vou ouvindo q sou má e coisas do tipo. a minha sorte, por agora, é que a tipa é igual ao pai mas puxa á mãe e já vai ela massacrando o perguiçoso.
Força, mta mesmo. Seja como for o importante é estares de bem com a vida, o teu filho depois saberá dar o devido valor. Força, desejo-te mta mesmo.

ptc disse...

que giro, tenho a vaga ideia de ter escrito uns posts deste género há uns quase 2 anos... passamos todas pelo mesmo, está visto.

Mãe da malta disse...

MQP, quando o projecto tem dó-dói quem é que ele quer? quando se sente inseguro? quando quer miminho?

Ah pois é, as regras tb dão sensação de segurança, és provavelmente o grande pilar da vida dele, e isso é dificil, aguenta, força e beijinho mázona!

(olha, mas uma conversinha com o falecido, não dá?)

Apple disse...

Dificil :( mas mto comum

Abelha disse...

e depois deste comentários todos, só deves chegar a uma GRANDE e SÁBIA conclusão...ÉS GRANDE.
Grande MÃE
Grande MULHER
que sabe que tudo isto vai passar e vão sair os dois disto muito mais envolvidos e ligados um ao outro, não existe ligação maior que uma mãe e a suas crias.

Artur disse...

Deixa-me discordar com a abelha, nessa treta de mãe e crias. Se tal fosse, as mães biológicas tinham sempre essa ligação, e muitas vezes isso não acontece.
As ligações entre pai/mãe e filhos nascem do tempo que se dedica a eles. Do colo. Do afecto. Dos banhos. Das histórias. Das ajudas. Dos olhares. Do tempo que passa.
Não é preciso cordão umbilical para isto, e até acho uma afronta à mãe isto ser conectado a algo biológico.

Abelha disse...

Deixa-me esclarecer algo que passou um pouco enublado.
Mãe para mim é uma MÃE A SÉRIO, todas as outras são simplesmente parideiras.
Quanto ao vínculo biológico ou poder do sangue, ele existe e pode ou não ser desenvolvido. Se juntarmos o VB ao amor incondicional de uma MÃE, podem ter certeza que a ligação entre MÃE e FILHOS é MUITO ESPECIAL.

Artur disse...

É nisso que discordamos. Não acredito que o vinculo biológico tenha qualquer coisa a ver, e que uma adoptiva não possa chegar "a esse ponto G" porque lhe falta esse ponto. Eu não acredito que o cordão umbilical ponha mais pimenta numa relação destas.
Mas isso é porque sou gajo, e os gajos olham para estas coisas com uma distância maior. Não ligues, não foi nada para te chatear ou ofender, mas simplesmente para que exista uma visão diferente.
Mas isso sou eu que sou velho e tenho muito filhos. Contei-vos que o meu primeiro neto nasceu no sabado? :-)

Mente Quase Perigosa disse...

Olha lá o forrobódó que anda aqui no estaminé e eu completamente off!!!!!

Beijinhos a todos e obrigada pela força!

Mente Quase Perigosa disse...

Parabéns, Artur!!!! Gaijo??? Porque lindo, de certeza que vais dizer que sim!!!!

LOLOLOLOL

Lara disse...

A minha filha vive só comigo desde que nasceu, não temos falta de vínculo porque, como diz o Artur, há muito colo, atenção, cuidados, ... e ela também quer o pai quando a vida não lhe corre bem! No meu caso, não me importo. Pelo contrário, sei que ela tem os afectos pelos papás bem definidos. E fico feliz por isso. Releva, não te chateies tanto!

Lara disse...

A minha filha vive só comigo desde que nasceu, não temos falta de vínculo porque, como diz o Artur, há muito colo, atenção, cuidados, ... e ela também quer o pai quando a vida não lhe corre bem! No meu caso, não me importo. Pelo contrário, sei que ela tem os afectos pelos papás bem definidos. E fico feliz por isso. Releva, não te chateies tanto!

Abelha disse...

Amigos......
mas alguém disse que o Vínculo Biológico estava separado "do colo,da atenção,dos mimos, do carinho,do tempo juntos, da educação e da vivência"?
E por acaso alguém em parte alguma me viu escrever que uma Mãe Adoptiva não pode ser tão boa mãe como uma mãe Bilógica, não pois não???
Quando eu digo BOA MÃE, são todas aquelas que nutrem pelos seus filhos biológicos ou não, um amor desmedido.
Mas uma Boa Mãe Biológica tem sempre uma ligação +++ com os seus filhos porque possuí um sexto sentido (que a razão desconhece) em relação às suas crias que as outras boas mães não o podem ter, porque não se aprende, começa no útero e pode ou não ser desenvolvido.
O riso, o batimento cardíaco e a voz da mãe, são as primeiras coisas que ele ouve e com as quais se identifica para sempre.
Por isso, meu caro Artur, a história do vínculo biológico não é uma treta é algo grandioso quando aliado a uma BOA MÃE.

Ana Sousa disse...

AH GRANDE ABELHA!!!!!!


CLAP CLAP CLAP!!!!!

Artur disse...

Abelha, não vamos nunca concordar com isso. Mas é como te disse: nós, "gaijos", somos mais desprendidos dessas coisas biológicas. Só te dei o exemplo da mãe não biológica, porque pelo que tu acreditas, a sua relação com o puto podia ser ainda maior se houvesse vinculo biologico. Isto é discutir crenças, não chegamos a lado nenhum. Eu acredito assim e tu acreditas assado, e eu gosto de ti porque és uma mãe maravilhosa e pronto. Fazemos as pazes? :-)

O meu neto é um Gaijo. Tenho duas filhas (23/18) e um filho (7) e sou ainda um puto (43). Como já perceberam, tou aqui a discutir filhos e bébés sem quaisquer problemas, porque fui pai solteiro das minhas duas filhas. Fraldas, banhos, vestidinhos, baínhas, trancinhas e essas merdices todas fofinhas e o caraças. Merdas que só as gajas compreendem. :-)

Espero poder continuar a partilhar esta minha experiência, e aprender com a vossa... E divirto-me ao mesmo tempo! Eu gosto de mentes quase perigosas!

Mãe da malta disse...

Artur, ainda não consegues dizer "a palavra", aquela parecida com "alô"?!

:)

Mãe da malta disse...

Ah, caramba. Parabéns Artur! Eu já não estava on line quando nasceu o bebe.

(MQP, desculpa o abuso do espaço)

Mente Quase Perigosa disse...

Oh pá, estão à vontade. Gosto sempre de receber os amigos cá em casa.

Desculpem é a roupita que é o traje de andar aqui nas lidas.

LOLOL

Abelha disse...

Parábens pelo netinho...avô.

E se foi assim como contas, a versão de pai solteiro, incluíndo as baínhas... apenas te posso dar os mais sinceros parabéns e afirmar que fizeste concerteza pelas tuas filhas, aquilo que uma BOA MÃE faria...és UM BOM PAI.

(Desculpa minha adorada MQP...mas adoptamos o teu estaminé)

Artur disse...

Não, ainda não consigo dizer aquela palavra... :-)

Abelha: Gosto desse sorriso pah! Vamos lá continuar para bingo na des-educação destas crianças!

Viver é divertido! Com putos ainda mais! Vá, puxem por mim que eu ainda não falei dos 3 magníficos sobrinhos-netos que tenho! :-)

Não volto a este post! Estamos a hijackar o blog da MQP! :-)

Mente Quase Perigosa disse...

Vocês são uns chatos, pá.

Já disse que gosto de vos ter por aqui...