sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

9 FACTOS: 7 VERDADES, 2 MENTIRAS


Só devo faltar eu na blogosfera. Cá vai.

1. Já pensei que tinha morrido e que, efectivamente, morrer é como se vê nos filmes. Nós a ver os outros e ninguém nos vê a nós.

2. Já fui levantada no ar pelo segurança da Cláudia Schiffer para me salvar de uma situação delicada.

3. Já estive com uma conhecida actriz enquanto ela roubava um vestido, igual ao que eu envergava, de uma loja. O meu foi mesmo comprado!

4. Já tive affairs com 2 figuras públicas.

5. Tenho fobia de unhas. Detesto. Se alguém começar a roer as unhas ao pé de mim, bato-lhe instintivamente e nunca, mas mesmo nunca, fui capaz de ter fosse o que fosse com um homem que roesse as unhas.

6. Já namorei homens de todos os signos do zodíaco.

7. Numa noite marquei 3 jantares com 3 homens diferentes e consegui estar presente em todos.

8. Durante uma reunião com eminentes advogados (e presenças assíduas na nossa TV) fiz voar 3 cafés para cima dos convivas e caí partindo 2 costelas com o embate nas costas de uma cadeira.

9. Quando era criança queria ser professora.

E as duas mentiras são?????

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

E NOUTRAS ALTURAS...


Como ontem que espalhou os brinquedos todos que possui (e não são nada poucos) pela sala porque "eu pexixo do caro do bombeios, mamã. Anda uá pócurá comin! Vá uá*", eu penso que ele nunca vai chegar aos 30.

No entanto, eu vou chegar à capa do 24 Horas, ai vou vou... Consigo mesmo ver a capa:

"Mãe corta filho às postas e pendura os bocados na corda da roupa!!!!"

P.S.: Não diz os l's, lembram-se?

ESTE GESTO...


É recorrente nele.

Afasta-me o cabelo da face sem uma palavra. Lentamente com a sua mão suave e com um sorriso sedutor nos lábios. Olhos nos olhos.

E eu penso sempre: Deus me perdoe ter criado uma criatura com este poder de sedução! É que se aos 3 ele executa o gesto com esta mestria, aos 30 eu rezo pela alma da menina a quem ele afaste o cabelo do rosto... E quer-me cá parecer que tenho muita Avé-Maria que rezar!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

SABEM AQUELA SENSAÇÃO...


De 'Ambrósio, apetece-me algo...'?

Pois é assim que eu estou!

Já dei 50 voltas aos armários aqui do estaminé, vasculei o frigorífico e nada me apetece...

E ainda por cima no msn estão-me a perguntar se quero ir ao Japonês na 6ª e ainda hoje é 4ª!

É que era já agora mas não sei se é peixe crú que me apetece.

O que vocês fazem quando vos dá isto?

PRIMEIRO AMOR


'Namoram' desde que nasceram.

Ela aos 2 decidiu que devia sair com outros meninos e começou a namorar coleguinhas da sala dela da creche.

Ele, em resposta, começou a namorar todas as meninas da escola. Mas a menina dos olhos dele continuou a ser ela.

Ontem, mais de um ano depois, foram ao cinema. Ela subia a escada rolante à sua frente. Sem mais nem menos, ele que ía embevecido a olhar para ela, olha para mim:

- Mamã... Ela é tão linda...

- Como, filho? (Eu não quero acreditar nisto!!!!! Se eu não gostasse da xavala como se a tivesse parido, tinha-lhe dado um murro na cabeça!)

- A M... É tão linda, mãe...

- Pois é, amor, pois é. E tu gostas muito dela, não é?

- Xim... Xim, goto... Muto...

Deixa, querido, que vai passar. Acredita na mãe quando te digo que vai passar. Ou não...

AS PALAVRAS QUE NUNCA TE DIREI


Vi este filme, pela primeira vez, num dia de semana à tarde, numa ida solitária a uma sala de cinema. Foi também a primeira vez que assisti ao vivo e a cores a um fenómeno de grupo. Lembro-me de me admoestar para não chorar depois da vergonheira que passei aos soluços nas Pontes de Madison County.

Os meus ralhetes mentais até surtiram efeito. Estava eu muito bem comportadinha (só tremia um bocadito o queixo) quando do meu lado esquerdo se ouve um sentido soluço. Olhei para identificar a proveniência e deparei-me com um senhor na casa dos cinquenta, também ele sozinho, que chorava copiosamente.

O soluço do senhor abriu os diques e barragens de toda aquela boa gente que começou imediatamente a chorar como eu nunca tinha visto chorar numa sala de cinema.

Quando o filme acabou e as luzes se acenderam, ninguém se levantou. Ficou tudo carpindo as mágoas sentadinho no seu lugar. E eu nunca entendi que fenómeno cósmico ali se passou mas marcou-me.

O filme em si não me marcou por aí além, embora tenha marcado um ponto de viragem na minha vida.

2 anos mais tarde, as palavras que nunca te direi chegaram a mim em forma de livro, como forma de me 'dizer' aquilo que a voz não conseguia explicar. A entrada do livro em minha casa, marcou a entrada de uma pessoa muito importante na minha vida. No entanto, tal como entrou também saiu com as palavras que nunca me dirá.

O livro desapareceu, mas ficaram muitas outras palavras ditas ou escritas.

Hoje, o filme voltou novamente à minha cabeça. Quando dei por mim, no escritório, sentada na beira da secretária a repreender-me para me concentrar, veio-me a imagem da Teresa, no escritório a ler a carta que descobriu na praia.

O filme volta recorrentemente à minha vida e eu não sei porquê. Mas penso muitas vezes naquilo que se deixa de viver por palavras que não são ditas... Ai nisso penso, sim senhora...

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

SÓ NUMA DE METER NOJO...


Foi assim que passei os dois últimos dias.

Ontem, depois de saber a nota, decidi que não havia mau aspecto que valesse eu ficar em casa e fui mesmo para a esplanada à beira-mar, em jeito de celebração, e a imagem era mesmo muito semelhante à da foto. Hoje peguei no Projecto e fomos os dois ter com amigos à beira-mar.

A falta de sol que senti nos últimos meses está mais compensadinha e soube-me mesmo bem!

DESTINO E COR DE CABELO

Era uma vez uma menina que era muito boaziiiiiiiiiiinha. Essa menina vivia no meio da floresta com o seu filho pequenino (pronto, não é tão pequeno assim, mas há uma coisa que se chama liberdade criativa, ok?).

Um belo dia, a menina decidiu que era tempo de voltar a dar um banho de cor no seu belo cabelo que voltava a mostrar restos loiros de umas madeixas de há uns tempos. Lá pegou na burra, foi ao mercado e comprou a tinta do costume. Ao fim da tarde, hora mágica da coloração capilar, lá aplicou a mistela. Quando faltavam 2 minutos para terminar o tempo regulamentar da mistela, o telefone começou a tocar como se disso dependesse a vida de alguém.

Depois de o ignorar o respectivo aparelhómetro por 4 vezes começou a ficar preocupada e foi ver (erro nº1). Era a sua formosa Loira Carregadinha de Sabedoria da Cabeça aos Pés. Ligou-lhe de volta prontinha para lhe dizer "Já te ligo de volta. Vou só tirar isto da carola!" Mas deixou-a falar (erro nº 2).

A mensagem da Loira era simples: O Principe Porta-Chaves (que também já contava na lista das minhas chamadas não atendidas) estava em pleno exame de Penal e não sabia uma coisa qualquer do monismo e do dualismo ou lá o que era. Saberia eu o que era? Disse-lhe que sim (erro nº 3). A tarefa era então mandar-lhe por sms a resposta. E eu assim o fiz (erro nº 4)!!!! De salientar que as teorias monistas são 3 e as dualistas são 4 e a pergunta era de desenvolvimento.

Lembro-me vagamente de ter pensado numa advertência do panfleto da tinta do cabelo: Se deixar passar o tempo indicado a cor pode escurecer... Lembro-me vagamente de ter pensado nisso e ter pensado que isso não me iria acontecer a mim! (erro nº 5 e famous last words) Onde estava eu com a cabeça????? Deve ter sido dos quimicos... Se teria que acontecer a alguém seria a mim com certeza!!!!!

Resultado: a menina boazinha mais uma vez provou que é boa colega, boa amiga, boa companheira, percebe de penal a rodos e provou ainda que fica gira até de cabelo preto!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Enquanto analisava o estrago e pensava se arriscávamos um novo look ou iriamos para damage control e apresentávamos a conta ao Principe Porta-Chaves, dei comigo a pensei como era possível que a maioria das coisas que marcaram a minha vida tinha a duração de um momento.

Um filho-de-uma-grandessima-senhora-de-cama-incerta de um momento que marca. Seja ele o inicio ou o fim de alguma coisa mas marca. E neste momento, eu estou suspensa num desses momentos. Presa a um cagagésimo de segundo. Um estúpido cagagésimo de segundo. A questão é que se antes eu sabia sempre o que marcavam os momentos, agora não faço puto de ideia se este em particular representa o inicio ou o derradeiro final...

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

SAIU A ÚLTIMA NOTA...


E eu estou oficialmente de férias! Com tudo feitinho...

MY DAY SO FAR...


5.17: Luzes da casa todas acesas. MP3 no ouvidinho. BreakEven aos altos berros. Dancemos, pois então.

7.20: "Mamã, perdi a pê... Vamos pa xala ver o Madagascar?" (um gaijo que não diz l's, come o inicio de 50% das palavras e baralha-se todo, diz Madagascar na perfeição. Mistérios do Universo...)Arrastemo-nos, filho. Arrastemo-nos... Aquecer leite de olhos fechados. Bebe o leite. "Mamã, binca comigo com o carinhos no chão." Tu deves é estar muita maluco... "Vá uá (nunca esquecer que ele não diz os l's), anda uá..." Quando o telefone tocar, a mamã vai... Triiiimmm! Exactamente, 2 segundos depois da frase... Cara de sacana automática. "Já tá. Anda bincá" Grrrrrr...

8.30: "Mamã, vou vestir a roupa do Madagascar?" Sim, filho, vais... E eu com esta cara até faço pandan porque pareço a Glória... Veste fato de leão do Continente mas se alguém lhe diz que aquilo não é a roupa do Auéxe do Madagascar, leva nas trombas!

9:00: "Mamã, agora tira." Como é que diz que disse???? "Eu não poxo levar a roupa do Auéxe pa escoua!" E porque não???? "Puque xenão os outos meninos róbem!" Hello, xavalo, isto não é o Bronx e não andas no liceu, get a grip!!!!! A maioria daquela xavalada não me chega à cintura e eu nem tenho nenhuma altura portentosa!!!!!!!!! "Tira mamã..."

9.10: Sai fato do leão, entra fato de treino. "Mas mamã, levas na moxiua, tá bem?" Daqui a bocado quem vai na moxiua és tu!!!!!

9.30: Entrar a correr na escolinha. Criatura põe sorriso 35, sacana do puto que é lindo comó raio, "agora já podes vestir-me!" É que é já a seguir... Oh educadora fofinha e auxiliar maravilha, tendes aqui o fatito, tendes aqui a criatura, dá cá beijo à mãe, eu venho buscar-te cedo.

9.45: Valha-nos o sol... O sol... Esplanada, mp3, pequeno-almoço, revista do Continente e Happy. Revista do Continente porquê? Porque a entrevista era ao Hugh Jackman. E ainda descubro que o moço é canhoto... Canhoto, senhoras... E acredita no destino... Tão bom moço...

11.00: Sair da esplanada que estou a sentir a pele a repuxar. Pulinho ao supermercado.

12.15: Ver comentários e mails.

A partir daqui vou-me dedicar a dar um jeito à minha pessoinha que eu mais pareço desenterrada que outra coisa. Sesta? Não!!!! Durmo logo.

MELHOR FILME E THE END


Que já me dói o tutu de estar aqui sentada.

Amanhã, outras farão a crónica das fatiotas que eu para isso não tenho pachorra. Posso desde já dizer que o meu vestido favorito foi o da Sarah Jessica Parker e o acessório que mais gostei foram os brincos da Angelina.

E lá está! Sai uma dose extra de chamuças para a mesa do canto e a equipa do Benjamin vai sacrificar vacas para se vingar!

Eu vou tentar agora ver os filmes para depois poder auto-censurar-me e retratar-me publicamente por todas as barbaridades que disse ao longo da noite.

Para o ano há mais. Fazemos questão de repetir o Hugo. Muitoooooooo. Gostei do novo formato (não do Hugo! Dos oscares, mesmo). Menos maçudo e mais dinâmico. After all: it's showbiz!!!!

Boa noite e até para o ano.

MELHOR ACTOR


E ao ver a Nicole Kidman a apresentar a Angelina Jolie, só me lembrei da ceremónia de 1996 em que o Tom Cruise era nomeado pelo 'Jerry McGuire' e ao lado tinha a Nicole que injustamente não fora nomeada pelo seu papel em o 'Retrato de uma Senhora'.

Pelo menos, agora o Brad e a Angelina foram os dois nomeados. Pode ser que nenhum dos dois ganhe, mas sinto que houve aqui uma certa justiça cósmica. Talvez não vos faça muito sentido mas no meu (estranho) mundo tem toda a lógica.

Viram a cara do Brad a olhar para os 5 SENHORES que apresentaram os nomeados?

Foi tipo: "Man... Isto parece o céu dos actores... Medo... Nunquinha na vida pensei ver esta cena!"

E sai-lhe logo o Sir Anthony Hopkins... Eu até fazia pipi no boxer...

Que anelinho é esse, Brad? Um cachucho?

Ai o Mickey Roarke...

E pronto. Já está: Hoje não há sexo na Brangi-casa! E se fosse noutros tempos, a Angie ainda tirava uma lasquinha do Hugo...

DA SÉRIE: BOLAS, ESTÃO VELHOS!!!! ou TOU A FICAR COTA!


- Eddie Murphy

- Liam Nielson

- Mickey Roarke (este nem tenho palavras...)

Meus Santinhos que este ano só dá japonês e indiano naquele palco.

Tou sempre à espera que alguém pergunte "qué frô" ou comece a trinchar o salmão para o sushi...

Eu gostei das inovações, Senhores que Mandam na Academia, mas para o ano podemos ter o Hugo a apresentar todos os oscares, se faz favor?

A minha vistinha agradece...

Obrigadinhos!

E NÃO É QUE SE ME BLOQUEOU A NET?


E não me deixar gravar fotos de outra coisa que não seja o Hugo?

Logo agora que ía fazer uma repórtage fotográfica acerca do facto do Jeffrey Dean Morgan e do Javier Bardem serem gémeos separados à nascença?

Neste caso, uma coisa boa não veio só!

Ora como os meus posts têm sempre foto... Desculpem lá qualquer coisinha... Afinal consegui!!!!! Eles são mesmo iguais, bolas...

ELE DISSE MESMO...


Que o Chris Dickens, editor do Slumdog Millionaire, ganhou o BAFTA e o prémio da Associação Nacional de Montadores????

O que é que este senhor sabe e não nos está a dizer????

É por estas e por outras que eu voto que os nossos comentadores fiquem caladitos... Deixem apresentar quem sabe!!!!

MEUS AMORES...


Depois de ver o 1º nomeado da categoria de documentários preciso ver uma foto do Hugo. Desculpem, mas 'pexixo' (como diz o Projecto) mesmo! É capaz de ter sido um dos homens mais feios que alguma vez vi...

E AGORA LÁ ME VEM A LAGRIMINHA...


Tu eras mesmo lindo e ainda por cima talentoso...


Porra, pá...

VAIS-ME DESCULPAR, NI...


Mas o dueto Hugo/Beyoncé encheu-me as medidas...

He sings, dances, is funny and presents well...

E o sotaque... Até me está a apetecer mudar o nome para Maria só para ele me cantar assim!

NÃO ESTAVAS MESMO A PENSAR...


... Que eu ía pôr a foto da Natalie tendo esta alternativa, pois não?

AS COISAS QUE EU APRENDO...


A Natalie Portman é israelita e fala hebreu fluentemente... É inteligentissima além de ser linda comó caraças, talentosa comó raio e simpática a rodos...

Some got it all...

Só falta anunciarem amanhã que anda com o Hugh Jackman!!!!!

AIIIII... ESTA É PARA TI SOUSÓCA!!!


Deves estar a dormir o sono dos justos... Mas ele está aqui... Em directo... A apresentar o especial sobre romances... Prepara-te para ver o compacto amanhã... O smoking...

P.S.: As gaijas que andam aí a ver isto e a reclamar que não entendem porque só aparece o Hugo nas fotos, estão felizes agora???? É que não parece mas elas estão acordadinhas e a não perder pitada!!!! Sim, vocês duas... Eu gosto do sotaque e depois?

SE EU FOSSE A JENNIFER ANNISTON...


Saía dali e ligava ao psicanalista...

É que por muito gira que a miúda esteja, estar ali a apresentar Oscares e a olhar para o ex com a gaija que lhe enfeitou a testa... É dose... Ou como me dizia a Bruxa Poderosa Amiga Céptica no MSN: Gaija Encornada sofre... se bem k ela ao menos foi encornada por uma das mulheres mais lindas do mundo...

E, pelos visto, o sofrimento dura e dura pois não tem a mocinha que entregar a estatueta a japones de bolso? Ao menos que fosse a um fulano tipo o Hugo e que se fizesse a ela... Embora isso não queira dizer nada como aprendemos à bem pouco tempo!

Ai o japunga... Xank iu tu...

Alguém me sabe dizer onde foi o Hugo enquanto eu fui fumar um cigarrito? Se calhar, foi à minha procura...

Ai aqui está ele... O sotaque é que é uma coisa...

E agora o Daniel Craig... Se bem que estou indecisa do que gosto mais: do Daniel Craig de smoking ou do vestido da Sarah Jessica Parker... What to choose...

E o sotaque do Daniel também não é mau... Mas o outro...

ALGUÉM ME EXPLICA PORQUE ESTOU A COMENTAR


Os Oscars se não vi os filmes???

Felistaciones para ti também, Angelica Houston...

Com estes esquema de 5 apresentadoras, as nomeadas começam a chorar logo. É bom porque dá para disfarçar as lágrimas de raiva...

A Marisa Tomei é mesmo gira, pá...

O Oscar para a Penelope?????? Oh por amor da santa... O que eu embirro com esta mulher... E tanto ano nos Estates, aprendiamos inglês, não?????

Põe os olhinhos num sotaque que dá gosto, Penny...

E O MENINO FEZ UMA ABERTURA BRILHANTE


Confesso que não estava à espera... Grande espectáculo e com bom... Sotaque...

O SOTAQUE, SENHORAS, O SOTAQUE...


domingo, 22 de fevereiro de 2009

COISAS QUE APRENDI NOS ÚLTIMOS DIAS


- Que um homem quando dá o número de telefone 3 vezes a uma mulher não significa necessariamente que queira que ela lhe telefone ou mande sms's ou que queira vê-la. Significa apenas que é distraido e não se lembra que já o tinha dado ou que tem alguma necessidade galopante de partilhar o seu número de telemóvel. E digo-vos mais: isso aborreceu-me... Acreditem que no top das coisas que me desiludiram nos últimos tempos, isto é coisinha para estar mesmo mesmo mesmo lá em cima. E depois há outra coisa. Devia ser proibido as pessoas entrarem na nossa vida, causarem uma certa impressão e depois... Puff... Desaparecerem e nós nunca mais as vermos! Essas pessoinhas deviam vir com avisos luminosos: "Atenção! Prazo de validade curto! Consumir rapidamente!!!!!"

- Uma licenciatura em Relações Internacionais dá saída para auxiliar de hospital. E que isso não torna estas profissionais nem mais nem menos arrogantes que as outras meninas que não estudaram e que também lá andam. Aliás, eu tenho aqui que fazer um pequeno aparte para louvar estas senhoras que dedicam 8 horas do seu dia a tornar a vida dos pacientes mais confortável. São elas que os limpam, os lavam, os alimentam, lhes ouvem as maleitas, que sofrem com os familiares. São elas que passam mais tempo ao lado das suas camas, muitas vezes a segurarem-lhes a mão e confortá-los. São elas que abraçam as familias e choram com elas quando algo corre menos bem. São elas que ralham com os doentes quando os vêem a desistir e os puxam para cima.

- A minha tara mal resolvida com médicos, que tem origem num parque de estacionamento do Hospital SFX há 7 anos atrás, faz com que eu me sinta atraída por médicos o que dado ao historial recente da minha familia é trágico. Mais vale darem-me logo o cartão de sócia da Ordem dos Dótores!!!!!!!!!!! Às meninas que vão começar a perguntar pelo cartão de sócia da AO (e com toda a razão, diga-se de passagem): tenham calma que esse até trabalho para ele e tudo! É que essa 'má-resolução' já é muito mais antiga. Já lá vão pra lá de 16 anos!!!!!

- Depois de gentilmente me terem gravado o album todo dos The Script no Mp3, descobri que melhor do que (ou, pelo menos, tão boa como) o The Man Who Can't Be Moved é o Break Even. Aliás, eu acabei com a bateria do mp3 a ouvir essa música em repeat nos corredores de Santa Maria. E o sorriso nos meus lábios nada tinha a ver com as batas dos Dótores! Eu ria mesmo a imaginar o que a Sousóca iria agora concluir por eu estar vidrada nesta música!!!!! (ela anda preocupada com a melancolia das minhas escolhas musicais!!! LOLOLOL)

- Aprendi que efectivamente, às vezes, nao vale a pena discutir nem lutar. Às vezes, temos mesmo que deixar as pessoas ir. Largá-las à sua sorte. Elas irão aprender por si que são burras e que desperdiçaram a vida. E, curiosamente, nessas alturas as pessoas começam a patinar e a estrebuchar e a não "entender que diabo se passa connosco!!!" É simples: cansámo-nos! Deal with it!!!!!! Eu disse: 'Deal with it'. Não disse: 'Kiss my ass, now'! Agora é tarde. Temos pena!

- Descobri que a única coisa com poder para me fazer TENTAR assistir aos óscares em directo é mesmo o Hugh Jackman. Temos pena, mas este ano o cansaço é tanto que nem os trapinhos seriam motivação suficiente. E eis que me surge uma dúvida recorrente (todos os anos penso a mesma coisa. Devo mesmo estar a ficar velha ranzinza): os óscares começam por volta das 2, certo? E há muita gente que pelas mais variadas razões, vai nanar e borrifa-se para a coisa. Assim sendo, porque é que a TVI dá o compacto no dia a seguir à 1 da manhã? Será que os senhores ainda não perceberam que quem não vê às 2 também não vai ver à 1???? Será que eles acham mesmo que aquela hora faz toda a diferença?

- Nem tudo(todos) o que existe está no google... Spooky...

- Calças 2 números abaixo daquele que estou a usar, servem-me. O que talvez explique o porquê dos pijamas estarem sempre a cair. Parece-me que eles afinal não alargaram... A solução terá mesmo que passar por voltar a engordar porque não tenho nem tempo nem dinheiro para ir às compras. Acabaram-se as sessões de dança com o mp3 à 1 da manhã no tapete da sala.
- Eu entro mesmo em stress se saio de casa sem óculos escuros... Todo o resto pode ficar, mas se os óculos ficam a coisa torna-se grave... And now, Ladies and Gentlemen, the Oscars!!!!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

SÓ PARA CONAISSEURS...


MÚSICA


É parte integral e integrante da minha vida. Não vou a lado nenhum sem cd's e, mais recentemente, sem mp3 ou 4 (que não sei a diferença).

Quando uma música se me entra pelo ouvido adentro é dificil concentrar-me noutra qualquer a não ser quando leio a letra e ouça a dita cuja repetidas vezes. Talvez seja esse o motivo pelo qual sei de cor milhares de canções.

E o segredo para uma música me entrar no cérebro e alojar-se é simples: basta ter uma frase que me diga alguma coisa. Eu apanho essa frasezita numa rádio qualquer e começa a gaija a rodar na minha cabecita.

Ontem, fiz uma compilação das que me andam a rodar na cabeça nos últimos tempos. Cá vai a lista com os links. A frases são as que me chamaram a atenção em cada música e não o seu título:

1. The man who can't be moved. Ok, neste caso a frase é a mesma que o título. Oh pá, esta música é tão linda, mas tão linda... Que eu quero este gaijo para mim!



4. Esta foi mesmo por causa desta cena do filme. A música é esta. A letra é tão estúpida, mas tão estúpida que até dói!!!!! Quem ouve pensa numa coisa elevada, romântica... Esquece lá isso!!!! Pissing on magazines????


6. I try to say goodbye and I choke. Try to walk away and I stumble. Quantas e quantas vezes ao longo da vida...


8. All these lines across my face. Porque é verdade, verdadinha...


10. Você tem meia hora para mudar a minha vida. Eu, em alguns, casos dava um bocadito mais... Pode valer a pena.

11. Um carro ou dois no portão. Casa para o Inverno e para o Verão. Gosto muito da batida. Gosto da ideia. Não faço puto de ideia de quem é esta gente.




15. Until I find somebody new. Ok. Atentem na última frase da música que o Damien Rice diz em surdina depois de 4:54 minutos sem conseguir tirar o olhinho e a cabecinha da mocinha. Atentem!!! E além disso, é a música do genérico do Closer que é um dos filmes da minha vida.


17. Only time. Não é que goste particularmente do género ou mesmo da música mas esta está-me gravada no coração e foi lá gravada com um ferro em brasa. Quando sei que nada posso fazer e me é exigido paciência e serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar, ouço-a. Primeiro, irrito-me. Depois, acalmo-me.

18. Guilty pleasure! Guilty pleasure!!!!!! Cada vez que ouço estas coisas imagino-me mesmo com aqueles vestidos dos anos 50 a rodopiar pelo salão!!!!

19. Lembro daquele beijo que você me deu. Porque há pedras que nunca tiramos do sapato, porra!

P.S.: E agora estou para aqui a pensar: E o que é que isto interessa a alguém?

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

COISA MAIS NOJENTA DE SEMPRE


Vai ser o concurso de cuspidelas que eu e esta menina vamos fazer em breve... Oh larila se vai ser nojento!!!!!!

TER BOAS COLEGAS É:


Queixar-me que me dói a cabeça e a garganta e responderem-me:

"Deixa querida, não penses nisso. Queres um sumo de laranja natural? Eu vou ali fazer-te um sumo de laranja natural!"

E aqui estou eu, sentadinha a beber um sumo de laranja natural, a não pensar em nada...

Por estas e por outras é que não me queixo do meu trabalho.

HERE'S LOOKING AT YOU, KID!


Depois do meu acesso de auto-estima exacerbada, decidi que a Me, a Myself e a I deveriamos celebrar.

Como a idade não perdoa e folias a meio da semana (principalmente, se andamos a dormir 3/4 horas, no máximo, por noite há um mês) dão cabo da beleza de uma criatura, vá de ir comprar uns petisquinhos, uma garrafinha de vinho e depois de tudo preparado com copo de cristal e tudo e tudo, coloquei no dvd a 5ª temporada de uma série que estava guardada na gaveta do escritório há quase 2 meses para eu não cair em tentação enquanto devia estar a estudar.

Olhem que ter amigos é bom, mas sermos a nossa melhor amiga é fantástico.

Estive tão entretidinha com o dvd, com uns rabiscos numa folha que só quando me fui deitar quase à 1 da manhã é que reparei que tinha uma chamada não atendida no telemóvel.

Reacção que teria há uns meses atrás: "COMO É QUE EU NÃO OUVI? E AGORA? COMO É POSSÍVEL?"

Reacção d'Mente: "Oh pá, tomorrow is another day. Além disso, ninguém espera que as garrafas de boa qualidade e com boa aparência estejam na prateleira à meia-noite numa noite que não têm filho e quando acabam de receber a noticia de que os seus objectivos foram superados, Right?"
E as mulheres ainda receiam envelhecer? Soubera eu que isto era assim, já tinha começado há mais tempo!!!!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

I'M SITTING ON TOP OF THE WORLD


Há momentos em que eu e os meus botanitos nos enchemos de auto-estima e pensamos: "Gaija, tu és mesmo muito boa! Mas mesmo de uma casta muito superior. Tu és do topo da cadeia alimentar."

É que no meio do caos, desordem e destruição que anda a minha vida, terminada a 1ª época de exames falta-me saber uma nota e todas as outras cadeiras estão feitas!

É por estas e por outras que eu até tenho medo de andar na rua. É que sou tão boa, mas tão boa que tenho medo que me róbem!!!!

P.S.: Desculpem lá o post convencido mas hoje mereço.

P.S.1: Assume um especial sabor de vitória porque faz sorrir o gaijo que me pôs no mundo lá na sua caminha de hospital, bem longe de mim. Fá-lo ficar inchadinho de orgulho e aposto que anda a encher os ouvidinhos das enfermeiras e dos dótores com quão inteligente é a filha dele. E, como ele até nem tem muito com que sorrir ultimamente, é dar-lhe o gostinho.

P.S.2: Porque gosto de atirar isto displicentemente ao pé de todos os que acham que não deveria querer mais do que tenho. Para todos vocês um grande BAHHHHH!!!! (e acredito que deve irritar especialmente o Falecido e hoje isso dá-me um particular gozo porque a criatura este ano até festeja o dia dos namorados 2 vezes e comigo nem à merda me mandava! Mas isso é outro post...)

P.S.3: Porque quem gosta de mim, fica com um sorriso taralhoco e eu gosto de os ver felizes...

P.S.4: Porque embora, eu tenha tentado transmitir que no meio do caos e da desordem, eu estava segura e ía conseguir cumprir os objectivos e que tinha tudo controlado, houve muitas vezes em que duvidei. Houve muitas noites que lutei com mim mesma e fiquei a estudar embora tivesse a certeza que seria um esforço infrutífero. Não foi! E por isso mesmo, estou inchada como um balão.

P.S.5: Porque há aí uma meia-dúzia de pessoinhas com mais visão do que eu e acreditaram cegamente e nem por um minuto duvidaram que eu conseguiria. Mesmo quando eu não acreditava, elas não duvidavam.

WHAT ELSE?


A vida já lhe ensinou que as mais belas histórias de amor nem sempre acabam bem. Por isso, tem uma grande capacidade de continuar sempre com a sua vida e de não insistir no que já não tem solução. Restam-lhe as recordações. Devia estar aqui o link do you tube mas não funciona. Cá vai o excerto:

Rick: Last night we said a great many things. You said I was to do the thinking for both of us. Well, I've done a lot of it since then, and it all adds up to one thing: you're getting on that plane with Victor where you belong.

Ilsa: But, Richard, no, I... I...

Rick: Now, you've got to listen to me! You have any idea what you'd have to look forward to if you stayed here? Nine chances out of ten, we'd both wind up in a concentration camp. Isn't that true, Louie?

Captain Renault: I'm afraid Major Strasser would insist.

Ilsa: You're saying this only to make me go.

Rick: I'm saying it because it's true. Inside of us, we both know you belong with Victor. You're part of his work, the thing that keeps him going. If that plane leaves the ground and you're not with him, you'll regret it. Maybe not today. Maybe not tomorrow, but soon and for the rest of your life.

Ilsa: But what about us?

Rick: We'll always have Paris. We didn't have, we, we lost it until you came to Casablanca. We got it back last night.

Ilsa: When I said I would never leave you.

Rick: And you never will. But I've got a job to do, too. Where I'm going, you can't follow. What I've got to do, you can't be any part of. Ilsa, I'm no good at being noble, but it doesn't take much to see that the problems of three little people don't amount to a hill of beans in this crazy world. Someday you'll understand that. Now, now... Here's looking at you kid.

E é mesmo verdade, verdadinha...

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

HUMILHAÇÃO


Haverá coisa mais 'fecundada' do que uma mãe a ralhar com o filho porque ele não para de abrir a portinhola dos cd's do portátil e, para fazer valer a sua posição, fechar a dita cuja com firmeza acompanhada de um "se voltas a mexer aqui, pego em todos os teus dvd's e dou-os ao cão" e nesse processo pedagógico entalar um bocadinho - mas só mesmo um bocadinho - do dedo mindinho na filha-de-uma-grandessissima-senhora-cuja-profissão-incluiu-uma-cama-incerta da portinhola!

E mãe que é mãe não desmancha! Mantem o seu ar firme e intimidador de educadora mas por dentro... Por dentro voltamos a ter 2 anos, choramos copiosamente, gritamos que temos dói-dói e juntamos é um pikeno detalhe que aos 2 anos desconhecemos: o top 20 do vernáculo português!!!!!

P.S.: Eu tenho cá para mim que o pulhazinho se apercebeu... Vi-lhe no sorrisinho e quase que posso jurar que por breves segundos lhe vi escrito no olho direito "BEM" e no esquerdo "FEITA"! Pode ter sido impressão... Mas estava capaz de jurar...

ELE HÁ HOMENS ASSIM!


"Que ao pé de uma gaija não se aguentam. Não têm estaleca! Mas ao longe... São uns vikings!

Por falar em vikings, esses é que a sabiam toda! Já traziam a cornadura posta que era para nem correr o risco de alguém a pôr por eles!"

(Bruxa Poderosa Amiga Céptica)

P.S.: Carago que já somos amigas há quase 17 anos... Porra! Já foi há 13 anos o grande putedo, pelo pénis pequenino do menino Jesus!!!!

P.S.2: Se um dia junto esta com a Loira Coberta de Sabedoria da Cabeça aos Pés vão acontecer várias coisas:

a) Tenho que ter cuidado para não correr o risco de elas não olharem para baixo e me pisarem, é que cada uma das bicharocas é coisinha para mais de 1m75 e nenhuma das duas dispensa saltos (antes que alguém se lembre de perguntar: sim, uma é loira outra é morena, são as duas giras que se farta e boas comó milho!).

b) Acho que não corro o risco de sair com elas à rua porque não consigo andar de andas e ía parecer uma mascote!

c) Vou ficar dispensada do ginásio por uns bons anos que pelo que me vou rir, é coisinha para ser equivalente a 2 décadas de abdominais!

PATIENCE GRASSHOPPER, PATIENCE...


Mente Quase Perigosa: Palavrinha de Mente que não entendo...

Loira Coberta de Sabedoria da Cabeça aos Pés: Eu explico! Tu és um investimento.

MQP: Um quê???? Disseste investimento? A ligação está péssima...

LCSCP: Sim, babe, investimento. Tás a ver aquelas bebidas que são demasiado boas para serem bebidas que pomos na prateleira para um dia saborearmos. Nós queremo-las mas sabemos que não as devemos beber. Não devemos porque aquilo é bom demais para nós, para o momento.

MQP: Tens consciência que se guardarmos o vinho durante muito tempo, pode azedar?

LCSCP: Tu não azedas. Tu não és vinho!!! Tu és whisky! Pensa em ti como uma garrafa de whisky! Do bom!!!!

Eu sou uma garrafa de whisky... Eu sou uma garrafa de whisky... Eu sou uma garrafa de whisky...

A paciência é uma virtude tão linda, não é? Eu, pelo menos, admiro imenso as pessoas que a têm...

domingo, 15 de fevereiro de 2009

FIGUEIREDO DIAS, MEU ROOM MATE PARA OS PRÓXIMOS DIAS


"Don't show me your golden smile
'cause I'm trying to forget you
But if you try to hide...my love
I will catch you"
(Golden Era - Rita Redshoes)

Café. Muito.
Rita Redshoes em som de fundo.
Direito Penal...

Ainda bem que está frio e vento lá fora. Assim, este aconchego até me parece agradável. Só a parte do Direito Penal é que não que se calhar era dispensável, mas cada um tem o que merece, não é?...

QUE RAIO* DE GAIJO...


Escolhe o dia 14 de Fevereiro para acabar com a namorada?

Há 364 dias no ano além desse. Podemos excluir o Natal, Ano Novo, os respectivos aniversários, a data em que começaram a namorar e acho que está tudo. Ainda assim sobram 359 dias, certo?

Porquê esperar pelo dia dos namorados para dizer: "Ah... E a propósito, não podemos jantar hoje porque eu quero acabar tudo!!!"

Ao menos com 15 dias de antecedência, não? O que é que a moça faz a cáca* da prenda que lhe deve ter comprado?

Há gaijos que só mesmo empalados com um guarda-chuva de golfe é que entendem que há cócós* que são desnecessários...

"i can't! i can't understand why the fuck he fixed me if he was going to break me like this?!"

Vai passar... Acredita que vai passar... This too shall pass... This too...

P.S.: Leia-se Caralho, merda e merda, respectivamente, que eu estou irritada, porra!

sábado, 14 de fevereiro de 2009

TEMPO


- Tu és teimoso! Pára de falar comigo. Eu não quero falar contigo.
- Eu quebro mas não vergo.
- Pensava que isso era o que tu achavas de mim...
- E é. Somos mais parecidos do que alguma vez poderás imaginar...
- E então? Isso não é bom?
- Pode ser muito bom. A ver vamos. O tempo o dirá.

Mais de um ano passou desde isto... Não sei se é bom se é mau. Mas até tu deves concordar quando digo que, bom ou mau, agora está a ficar perigoso. Atraentemente perigoso...

MÁ MÃE, MÁ MÃE, MÁ MÃE!


Okay, eu passei a semana passada fechada em casa, isso tolda o cérebro de uma pessoinha, principalmente quando esse cérebro já não é lá essas coca-colas...

Ora o meu querido filho (eu amo-te muito coisa mais linda do mundo e arredores e estou muito arrependida ainda que não consiga evitar rir à gargalhada cada vez que penso no que fiz) não podia tomar banho de chuveiro. Até aí tudo bem. Acontece que a criaturinha andava desde domingo a implorar para tomar banho 'à séria'. Como hoje íamos tirar os pontos, eu ontem decidi fazer-lhe a vontade.

Vá de chuveiro com ele e banho à lá garder. O penso ficou todo molhado mas eu não sou gaija de me intimidar com essas coisas de sangue e pontos e vá lá de convencer o fedelho a mudar o penso. Como não havia em casa pensos rápidos grandes o suficiente, cortei gase, adesivo e cá vai disto. Acontece que a gaija mãe esqueceu-se de fazer a coisa proporcional ao tamanho do Projecto. O adesivo era grande com'ó caraças. Ele vá de começar a espernear e não consegui cortar o adesivo e ele a espernear e 'deixa-me, mamã' e o adesivo soltou-se da mão e vá de colar na pila do gaijo. Nesta altura, eu já estava morta de riso e a criatura, possuida, veste as calças e 'não mexes mais no dói-dói'. Lágrima no rosto, enfia a chupeta, deita-se no sofá.

'Deixa lá a mamã pôr creme para soltar o adesivo da pila...'
'Não! Deixa-me!'

Vira-se para o lado e adormece.

E eu perdida de riso...

Esperei que ele estivesse a dormir profundamente, comecei a baixar-lhe as calças devagarinho, um quantidade gigantesca de creme nívea para espetar no instrumento do xavalo para ver se o adesivo soltava e o puto, qual criatura do exorcista, cada vez que sentia as calças a serem mexidas, arregalava os olhos e 'DEIXA-ME'.

Desisti. Pensei cá comigo. Ele hoje vai dormir com o pai. O pai tem uma pila deve saber o que fazer! Isto sempre perdida de riso o que me fazia pensar que eu, efectivamente, sou mesmo má mãe por gozar assim com a desgraça do rebento.

Claro que o pai nada fez em relação ao adesivo que continuou de pedra em cal em cima da pila do moço...

Hoje de manhã, no consultório do George Clooney lá lhe expliquei que lhe tinha dado banho e que tinha posto outro penso... 'E fez bem.' Disse-me o George. 'Mas acho que o penso era um bocadinho grande. Se calhar vai custar a sair...' Perdidissima de riso... 'E a gente tira. Os pontos estavam com bom aspecto?' Perguntava-me ele. 'Óptimo aspecto. O problema é mesmo o penso...' Ele olhava para mim com ar incrédulo talvez imaginando um penso do tamanho de uma fralda mas não alcançando o alcance do adesivo. 'Vamos lá ver isso...'

Pega de caras ao Projecto que gritava e esperneava que queria ir para casa da Mãe. O amor filial é lindo... A gente até lhes pode colar o material com Super Cola 3 que eles continuam a amar-nos!

O George Clooney baixa-lhe as calças e vejo-o fechar os olhos, a reprimir a gargalhada que eu também estava a reprimir e com o riso mal contido só diz: "Isto não é um penso grande... É mesmo uma grande maldade!" E aí não houve como reprimir o riso. Lá libertou o Projecto do 'sarilho', tirou os pontos e pôs-lhe um penso 'à medida dele'.

Acho que foi depois deste momento lúdico que eu pensei que aquele George Clooney até era moço para jantar um dia destes comigo e como má mãe que sou até flirtei um bocadito com ele...

Resultado, o Projecto está bem e recomenda-se e saiu de lá com declaração passada para voltar segunda-feira à escolinha. E eu saí de lá a pensar que tenho que ir ao Continente comprar pensos rápidos dos grandes!!!!

DIA DOS NAMORADOS


Todos nós achamos uma piroseira, todos dizemos que não damos importância, que é um dia como outro qualquer, que não queremos prendas, nem flores, nem mensagens, nem cartões...

Bullshit!!!!

Claro que gostamos dessas coisas todas, claro que não é o fim do mundo passarmos o dia sozinhos. Até pode ser bom. Eu passei um bom dia. Mas não pude deixar de pensar em outros anos...

Pensei no ano passado, em que essa data marcou talvez o principio do fim. Pensei em quando estava com alguém que não me 'via'. Para quem eu era transparente e sem necessidades ou, até mesmo sem sentimentos. Pensei que paralelamente havia quem me visse e de quem eu me escondia agarrada a uma ilusão de que tudo poderia melhorar.

Lembrei-me da desilusão de não ter nem uma palavra em relação ao dia em questão da parte da pessoa que havia escolhido para partilhar o resto da minha vida. Lembro-me de corar quando recebi uma prenda de quem não era suposto. Lembro-me de entrar em casa empunhando uma flor de plástico que a Loira Coberta de Sabedoria da Cabeça aos Pés me deu para fazer ciúmes ao Falecido e na mala, escondida, a prenda que não me deveria ter sido dada.

Este ano, não houve desilusões, nem prendas escondidas, nem flores de plástico. Não houve admiradores nem maridos nem namorados. No entanto, este ano foi mais honesto. Este ano o dia dos namorados foi um bom dia. Um dia meu. Um dia de sol, de compras, de jantar com uma amiga. Um bom dia... Para o ano não sei que como será. Mas se for como este, não me posso queixar.

BIG MISTAKE


Num sábado à tarde, depois de um exame de Direito Fiscal (fora os extras), em pleno dia dos namorados, sentar-me no sofá e ver, de fio a pavio, o "P.S.: I love you".

Big, big, huge, humongous mistake.

É que isto chega a um ponto que o ranho já escorre porque a malta esgotou os kleenexes e não consegue levantar o tutu para ir buscar mais!!!

Será que eu sou masoquista??????

Denise Hennessey: [finishes kissing Tom] What's my name?
Tom: Tom
Denise Hennessey: Where've you been?
Tom: With all the wrong women.

Gerry Kennedy: [calms Holly] Every morning I still wake up and the first thing I want to do is to see your face.

Gerry Kennedy: The message is that if I kiss her, life as I know it will end.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

OS DEGRAUS


"Não desças os degraus dos sonhos
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos - onde
Os deuses, por trás de suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco esse nosso mundo..."
(Mário Quintana)

Porque vi um poema do Mário Quintana no Blog do Karlytus...

Porque já usei este poema como parte de uma dedicatória que não assinei para não 'despertar os monstros'...

Porque ainda que não subamos nem desçamos, os monstros aparecem...

E EU?


Eu tou à beira de um ataque de nervos. Passo 18 horas do meu dia a pensar: "Agora é que foi! Rebentou os pontos, de certeza!"

Para intervalar com esse pensamento, cozinho, arrumo, aspiro, limpo e, quando acabo, recomeço tudo. Sempre acompanhada pelo som da palavra "mamã" que é proferida de 5 em 5 segundos.

Tenho que tomar banho às escondidas porque senão ele despe-se e salta para dentro da banheira (e não pode. Tem que tomar banho 'à gato' por causa do penso), ou seja, tenho que esperar pela 1 da manhã para me meter no chuveiro e esquecer o dia.

Não me lembro quando foi a última vez que estive tanto tempo fechada em casa... Mesmo quando parti o pé, ía trabalhar dia sim, dia não.

Mas isto não há-de ser nada... Afinal, 6ª já vou sair de casa... Para ir fazer um exame de Direito Fiscal!!!!!!!!!!!!!

Meditação... Vou fazer meditação e já venho...

TENHO SÓ UMA COISINHA PARA PERGUNTAR...


É possível que a anestesia lhe tenha tirado o sono para todo o sempre e lhe tenha injectado um dose de adrenalina que o impossibilita de estar quieto mais de 2 segundos de seguida?

É que passado 24h de estar em casa:

- já saltava de um banco para um puff em mergulho;
- já não tomava analgésicos;
- fugiu para o quintal 2 vezes: uma para brincar com 3 cães que têm o dobro do tamanho dele e uma para andar de triciclo (algo que está proibido de fazer durante 1 mês!).

A única outra hipóteses é que tenha sido trocado na maternidade e seja filho do Homem-Aranha com a Super-Mulher e eu só tenha descoberto agora. Nesse caso, agradece-se a quem possua um pedrita de Kriptonite que me envie um mail. Dão-se alvissaras!!!!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

ISTO SÓ PODE SER DA HORA...


Citações de uma conversa no msn:

"Oh Mente, tu não achas k por um homem feio de devia sofrer menos?
Tenho cá para mim k o sofrimento devia ser proporcional à beleza do bicho..."

"Será k as nossas mamas insuflam com o desgosto?
Ando a sentir as minhas maiores..."

São assim as minhas amigas e isso é capaz de explicar muita coisa...

E SE DE REPENTE...


Uma gaija de 33 anos chegar à conclusão que é possível ter sonhos eróticos com oProfessor António de Oliveira Salazar?

Isso é...

Prova indubitável de insanidade?

Uma tara ainda por ser descoberta?

domingo, 8 de fevereiro de 2009

TU!


FOSTE O ÚNICO HOMEM ATÉ HOJE…
Por quem engordei como uma lontra desalvorada…
Por quem abri as pernas para estranhos com um sorriso nos lábios…
Por quem fiz depilação integral COM CERA à pechinica…
Por quem passei noites em claro a suspirar de amor ao ver-te dormir…
Por quem deixo de comer algo que me apetece muito só porque tu queres a minha parte…

A PARTIR DE ONTEM, ÉS TAMBÉM O ÚNICO HOMEM POR QUEM…
Fiz jejum em solidariedade…
Que me fez (e agora segurem-se, rapazes, que esta é que vos vai partir o coraçanito em 1000 pedaços) perder 30 aninhos de vida em menos de 24h. Oh larila, qual Jack Bauer com emissões em directo a fugir de/para terroristas? Tu sim, tornas a minha vida radical, pá!!!!

Antes de começar o relato, queria agradecer do fundo do coração a todos quanto deixaram mensagens, perguntas, emails, sms, telefonemas, sinais de fumo… ;o)

A alguns ainda não respondi mas estão registados. É bom sentirmo-nos acompanhadas nestas alturas e é bom ver que tenho tanta gente boa na minha vida. Obrigada.

Ora então cá vai:
O dia começou às 7 da manhã com uma dose substancial de leite que as ordens eram simples: comer o que quiser até às 11. Das 11 às 13 só água e/ou ice tea. Depois das 13 nada de nada, népias, nicles de néribi.

Às 10.30 foi servido um bife de peru com cogumelos acompanhado de arroz branco – que causou estranheza e foi debicado – e começou o programa de entretenimento para esquecer tudo quanto fosse consumível. Banho e Mickey Mouse e Gang dos Tubarões. Ao meio-dia e meia começou o desassossego:
- Quero comida, mamã!
- A mamã não tem comida em casa. Dorme.
- Não tens comida na tua casa, mamã? (ar mais incrédulo do mundo)
- Não. Dorme.
- Então dá-me eitinho.
- A mãe não tem leite.
- Não tens eite????? Mas dói-me a fome na baíga… (ai…)

5 minutos de beicinho sentido e adormeceu. Acordei-o quando o pai nos veio buscar para ir para o hospital. Às 4 fizemos o ‘check-in’.

Ida para o quarto. Pesar. Tentar fugir do quarto. Tirar a temperatura. Tentar fugir do quarto. Sendo que nas 2 horas de espera para ir para o bloco de operações houve forte tónica no ‘tentar fugir do quarto’.

A bata e touca da operação foram categoricamente recusadas e atiradas para debaixo da cama. Às tantas pediu-me colo e que fossemos descansar lá para fora. Sendo que com 16 kilos ao colo a andar de um lado para o outro do corredor, não sei se posso dizer que estava a descansar… O passeio foi marcado pela repetição de 2 frases: “Onde está a comida, mamã?” e “Onde é a rua, mamã?” (ai…)

O companheiro de quarto dele desceu para o bloco e o enfermeiro disse-nos que ele seria o próximo. Quando os pais do outro menino subiram, tive a antevisão de qual seria a minha expressão dentro em breve. Muito breve…

Tentei mais uma vez convence-lo a vestir a bata. A imagem dele a berrar enquanto médicos e enfermeiros lhe tiravam a roupa no bloco operatório, doía-me. Assim que começou a choramingar, a mãe do outro menino só me disse: “Não o obrigue. Ele vai ter muito que chorar quando chegar lá a baixo." (ai… 3 vezes…)

Finalmente, o enfermeiro veio chamar-nos. Ele saltou para o meu colo mas assim que viu a cama dele a andar, começou a ficar curioso. O enfermeiro sorriu-lhe e disse-lhe que a cama era como um avião e perguntou-lhe se queria ir na cama. Saltou-me no colo e foi todo excitado em cima da cama enquanto o enfermeiro fingia que fazia corridas de avião. Quando chegou à porta do bloco, estava todo entusiasmado a olhar para a porta fechada. Perguntei-lhe se queria vestir a roupa especial de super-homem daquele avião. Despiu-se num piscar de olhos e vestiu a bata. O enfermeiro enfiou-lhe o chapéu especial para andar naquele avião (leia-se touca). O anestesista abriu a porta preparado para mais um puto aos berros deparou-se com um anjo loiro e sorridente que deu um beijo à mãe e lhe saltou para o colo porque o enfermeiro lhe disse que ele era o piloto do avião e ia-lhe mostrar as máquinas. Espero que o seguro também cubra a psicanálise que ele vai ter que fazer devido à fobia de aviões!!!!!!

Voltámos para o quarto para esperar. Até nem estava a ser tão mau quanto eu esperava até que subiu o companheiro de quarto dele. O choro convulsivo e incontrolável. Os gritos dilacerantes que ele dava… Saí do quarto agarrada ao Lenny do Gang dos Tubarões e fui para o corredor porque não era necessário ali mais nenhuma mãe a chorar. E foi aí que perdi os primeiros 10 anos de vida do dia.

No corredor, o cenário não era mais animador. O velhote do quarto ao lado tinha tido um ataque e estava prestes a ‘partir’. A proximidade física fazia com que constantemente médicos e enfermeiros me viessem dar noticias que iam de mal a pior até que conseguíssemos fazer sinal a indicar que não éramos familiares e apontarmos os verdadeiros entes queridos. Posso mesmo dizer que fui a primeira a saber que tínhamos que nos preparar para o pior em relação ao velhote…

A assistência ao senhor e confusão gerada pela sua transferência para a UCI e consequente falha cardíaca durante o percurso com uma cena digna de qualquer Anatomia de Grey ou Er, fizeram com que a enfermeira se esquecesse de nos chamar para irmos com ela buscá-lo ao bloco. Queria evitar que ele fizesse todo o trajecto do bloco ao quarto sem nos ver. Comecei a ouvir os seus soluços ao longe. Acho que mesmo antes de serem audíveis. Disse ao pai que ele vinha aí. Que ouvia os soluços. Olhou-me como se olharia um bicho raro mas se houve algo que ele aprendeu, nos 6 anos que viveu comigo, é que é muito perigoso contrariar as pessoas insanas e seguiu-me até ao elevador.

Eu conheço aquele fedelho como me conheço a mim mesma e numa mão tinha o Lenny e na outra a sua Pê. Dei-lhe as duas coisas e vi no olhar sentido e ainda desfocado dele o reconhecimento. A certeza de que já não estava sozinho e os soluços foram acalmando.

Note to self: Anda uma mãe a sacrificar-se, a sofrer que nem uma condenada e um fedelho destes anestesiado por quem é que chama? Pelo Pai e pela Chupeta!!!!!!! Se bem que a escolha do pai, eu hoje perceba (durante todo o tempo no hospital, era a mãe para tudo excepto quando algum médico ou enfermeiro lhe ia fazer alguma coisa. Aí gritava pelo pai. Acho que se resumia a uma questão de tamanho!), agora a Chupeta? A Chupeta?????

As 3 horas que se seguiram foram calmíssimas. Ficou quieto, calmíssimo, deitado na cama. O seu parceiro, pelo contrário, berrou e esperneou o tempo todo chegando mesmo a arrancar o cateter. Mesmo quando adormeceu, soluçou o tempo todo. O Projecto ficou sempre sossegado. Bebeu o Ice Tea que lhe deram. Conseguimos, depois de muita insistência, convencê-lo a ir ao wc e, por fim, adormeceu.

O cirurgião veio vê-lo e acordou-o. Eram já 23h e foi-lhe dada alta clínica. Vesti-o enquanto o médico foi assinar as altas. Enquanto esperávamos a indicação para descermos, aconteceu o imponderável. O menino que não tinha dado nenhum sinal de problemas nas horas anteriores, fez a perfeita recriação do exorcista e começou a vomitar como se tivesse no estomago 4 doses de bifanas da feira. Nessa altura, já o parceiro de quarto tinha ido embora. O pai foi chamar o enfermeiro enquanto eu lhe tentava tirar a camisola que já lhe tinha vestido. O enfermeiro veio e pegou-lhe. Queria que ele ficasse de pé. Para lhe medir a força, percebi mais tarde. Nada. A carinha dele ficou transparente. Os olhos revirados. O enfermeiro pô-lo ao colo do pai, para lhe poder dar assistência e chamou-me para que ele me visse. Lembro-me da voz do enfermeiro bem perto dos meus ouvidos a dizer: “Olha para os olhos da mãe. Puto, olha os olhos da mãe… Ele não é assim tão branco, pois não?” Acho que respondi mas não me lembro. Só me lembro de começar eu a falar com ele. De lhe segurar no rosto. De o forçar a olhar para mim. Da transparência da pele. Da mancha de nascença na testa que só se nota nestas alturas. Lembro-me dos olhos desfocados dele e de quando começaram a focar, novamente. Da cor a voltar ao rosto. Dele a olhar-me nos olhos. De começar novamente a falar para dizer que queria o meu colo. Nesta altura, eu era já uma respeitável senhora de 54 anos. Acho mesmo que senti o cabelo a branquear no momento em que o peguei ao colo e me sentei na poltrona e lhe beijei a cara fria e húmida.
O cirurgião foi chamado, mas estava a jantar fora com a namorada/mãe (dependendo de quem dava a informação), portanto ía demorar uma meia-hora a chegar. Não deveríamos sair sem ele chegar. Como se houvesse força poderosa o suficiente neste mundo – ou mesmo no outro – que me fizesse arredar dali!

A indicação era mesmo continuar a dar-lhe ice tea ou água e assim fizemos.

O cirurgião voltou meia-hora depois e eu voltei a abençoar o senhor meu chefe que aqui há uns anos convenceu a administração a implementar seguros de saúde iguais para todos os funcionários e familiares como complemento salarial. Porque infelizmente só assim conseguimos este tipo de atendimento no nosso país. O tipo de atendimento que todos os meninos deveriam ter com enfermeiros constantemente com eles, com médicos que deixam os jantares e voltam para os hospitais, com o canal panda constantemente ligado, com auxiliares sorridentes, com janelas grandes, cortinas bonitas e paredes branquinhas. Mentalmente, fui comparando o hospital do avô com o hospital do neto. Lembrei-me em como no hospital do avô só se apanha um canal numa televisão minúscula numa enfermaria de 5 pessoas em que apenas 1 dos doentes tem ângulo para ver o ecrã; em como são tão poucas auxiliares que não andam, voam, mas ainda assim vão dando palavras de conforto a doentes e familiares; como há um enfermeiro para tantas salas… Devia ser igual para todos. Não precisava haver 3 enfermeiros para por um cateter num menino, mas se houvesse uma maior distribuição… Se houvesse mais justiça… Se fossemos todos iguais…

Mas adiante, o cirurgião examinou-o. A única explicação era reacção à anestesia. Ficar mais uma hora. Ao mínimo sinal de mau estar, internamento durante a noite com soro e analgésico.

Passado meia-hora levei-o ao wc e ele começou a revirar-me os olhos e a empalidecer, de novo. Sentença lida. Mais um furo na mão – e já iam 3 – e vá de ligar o soro e ó-ó. A mãe vai comer à sala dos enfermeiros por ordem da enfermeira – e já – e depois fica cá a dormir com o menino. Se bem que a mãe já era mais velha que a avó, por esta altura, e provavelmente deveria estar à beirinha de uma síncope cardíaca.

A noite passou calmamente e o Projecto dormiu de seguidinha. Acordou bem disposto e cheio de fome. Acho que isso ficou bem patente quando disse ao enfermeiro que queria “leite, xumo e cufé, xavor” e depois substituiu tudo por “batatas fitas com cáne”. Acabou por se contentar com um papo-seco com doce e um leite com chocolate que deglutiu com a mesma fineza com que um leão devora uma gazela depois de estar 2 semanas sem se alimentar.

Riu, brincou, veio o médico, observou-o, deu-lhe alta (take 2). Depois veio o enfermeiro, mudou o penso, tirou o cateter e finalmente viemos para casa. Chegado a casa, voltou a pedir-me “batatas fitas com cáne” e fiz-lhe a vontade. Voltou a comer como se não houvesse amanhã.

Dividiu a tarde entre dormitar e dar-me ordens. Sim, meus amigos, verdadeiras ordens:
- Mamã, muda o fiume. O Ruca parece-me mais melhor do que o Shrek.
- Mamã, vai-me buscar os meus binquedos. Eu não tenho xó exes. Vai uscar mais.

Se por acaso, eu lhe lançava um olhar 78 devido aos modos, acrescentava um “xavor!” como se efectivamente ainda me estivesse a fazer um xavor a mim!

Há pouco, por volta das 23h, o excesso de comida finalmente fez efeito na sua tripinha e gaijo que é gaijo até vai mijar ao colo da mamã, mas para outras ‘questões’ vai pelo seu pezito. Ora, o mecinho quando se apercebeu que podia andar e não tinha dores, até ensaiou uns pulos e uma sessão de escalada à bancada da cozinha para meu pânico, como devem calcular.

Depois de me cuspir mais 762476126541765497615465 ordens, de me ter pregado 7639756315348652636 sustos com as brincadeiras e precisamente a 5 segundos de ser vítima de um crime passional, adormeceu. Chamemos-lhe instinto de sobrevivência…

E eu se tivesse juízo, já estava a dormir também que não durmo nada de jeito há 2 noites…
P.S.: A todos os que chegaram aqui, os meus sinceros parabéns! Devia ter postado isto em episódios. Acho mesmo que é o meu maior post desta encarnação e da outra!!!!

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

É JÁ NA SEXTA...


Que vão cortar o meu Projecto e eu estou um bocadinho em pânico. Mas claro que aqui é o único sitio onde eu o admito.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

NÃO HÁ GEORGE CLOONEY QUE VALHA A PENA


E há cinco minutos, ao enviar o pedido de autorização para a cirurgia do Projecto à companhia de seguros, fez-se luz:

Há bisturis envolvidos! Vai haver anestesia geral! Vai haver sangue, pontos, pensos, analgésicos, anti-inflamatórios!

Vai haver tudo isto no meu 'bébé' (não me venham com coisas: há-se sempre ser o meu bébé!)! Aperta-se-me o estômago, passam-me horrores pela cabeça e dói-me o peito. Agradeço a sua ignorância e o facto dele ainda não conseguir perceber o que se vai passar.

Respiro fundo e repito tipo mantra: "This too shall pass... This too shall pass... This too shal pass..."