sábado, 14 de fevereiro de 2009

MÁ MÃE, MÁ MÃE, MÁ MÃE!


Okay, eu passei a semana passada fechada em casa, isso tolda o cérebro de uma pessoinha, principalmente quando esse cérebro já não é lá essas coca-colas...

Ora o meu querido filho (eu amo-te muito coisa mais linda do mundo e arredores e estou muito arrependida ainda que não consiga evitar rir à gargalhada cada vez que penso no que fiz) não podia tomar banho de chuveiro. Até aí tudo bem. Acontece que a criaturinha andava desde domingo a implorar para tomar banho 'à séria'. Como hoje íamos tirar os pontos, eu ontem decidi fazer-lhe a vontade.

Vá de chuveiro com ele e banho à lá garder. O penso ficou todo molhado mas eu não sou gaija de me intimidar com essas coisas de sangue e pontos e vá lá de convencer o fedelho a mudar o penso. Como não havia em casa pensos rápidos grandes o suficiente, cortei gase, adesivo e cá vai disto. Acontece que a gaija mãe esqueceu-se de fazer a coisa proporcional ao tamanho do Projecto. O adesivo era grande com'ó caraças. Ele vá de começar a espernear e não consegui cortar o adesivo e ele a espernear e 'deixa-me, mamã' e o adesivo soltou-se da mão e vá de colar na pila do gaijo. Nesta altura, eu já estava morta de riso e a criatura, possuida, veste as calças e 'não mexes mais no dói-dói'. Lágrima no rosto, enfia a chupeta, deita-se no sofá.

'Deixa lá a mamã pôr creme para soltar o adesivo da pila...'
'Não! Deixa-me!'

Vira-se para o lado e adormece.

E eu perdida de riso...

Esperei que ele estivesse a dormir profundamente, comecei a baixar-lhe as calças devagarinho, um quantidade gigantesca de creme nívea para espetar no instrumento do xavalo para ver se o adesivo soltava e o puto, qual criatura do exorcista, cada vez que sentia as calças a serem mexidas, arregalava os olhos e 'DEIXA-ME'.

Desisti. Pensei cá comigo. Ele hoje vai dormir com o pai. O pai tem uma pila deve saber o que fazer! Isto sempre perdida de riso o que me fazia pensar que eu, efectivamente, sou mesmo má mãe por gozar assim com a desgraça do rebento.

Claro que o pai nada fez em relação ao adesivo que continuou de pedra em cal em cima da pila do moço...

Hoje de manhã, no consultório do George Clooney lá lhe expliquei que lhe tinha dado banho e que tinha posto outro penso... 'E fez bem.' Disse-me o George. 'Mas acho que o penso era um bocadinho grande. Se calhar vai custar a sair...' Perdidissima de riso... 'E a gente tira. Os pontos estavam com bom aspecto?' Perguntava-me ele. 'Óptimo aspecto. O problema é mesmo o penso...' Ele olhava para mim com ar incrédulo talvez imaginando um penso do tamanho de uma fralda mas não alcançando o alcance do adesivo. 'Vamos lá ver isso...'

Pega de caras ao Projecto que gritava e esperneava que queria ir para casa da Mãe. O amor filial é lindo... A gente até lhes pode colar o material com Super Cola 3 que eles continuam a amar-nos!

O George Clooney baixa-lhe as calças e vejo-o fechar os olhos, a reprimir a gargalhada que eu também estava a reprimir e com o riso mal contido só diz: "Isto não é um penso grande... É mesmo uma grande maldade!" E aí não houve como reprimir o riso. Lá libertou o Projecto do 'sarilho', tirou os pontos e pôs-lhe um penso 'à medida dele'.

Acho que foi depois deste momento lúdico que eu pensei que aquele George Clooney até era moço para jantar um dia destes comigo e como má mãe que sou até flirtei um bocadito com ele...

Resultado, o Projecto está bem e recomenda-se e saiu de lá com declaração passada para voltar segunda-feira à escolinha. E eu saí de lá a pensar que tenho que ir ao Continente comprar pensos rápidos dos grandes!!!!

3 comentários:

migalhamente disse...

ah ah que post tão engraçado xD

o que vale é o Sr. Projecto ficou intacto, pronto para aventuras ainda piores que essa

bolas que sorte, eu nunca apanho o George. Apanho mais tipo Nicolau Breyner xD

AJ disse...

Já me fizeste gargalhar!

Loira disse...

LOL
Tu és tãooo parecida comigo :D.