segunda-feira, 9 de agosto de 2010

RULES OF ENGAGEMENT ou MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA CASO SEJAM GAIJOS AFOITOS E SE CRUZEM COM A MENTE UMA NOITE DESTA SILLY SEASON

Eu sou amiga. Toda a gente sabe que eu sou amiga. Toda a gente sabe que eu não maltrato ninguém. Bem, pelo menos, sem ter avisado antes. Portanto, o que eu pretendo neste post é fazer o tal do aviso. As regras não são muitas que eu não sou esquisitinha. Mas há aquelas coisitas que são básicas e que evitam alguns dissabores. A saber:

1.       Se tendes menos de 21 anos, ficai ao largo. Não é complicado. Menos de 21, não tentai engatar-me. Não vale a pena. É escusado. É perda de tempo. Eu diria até que qualquer coisita nascida depois de mil nove e 82 é esforço em vão. Mas os que ficam entre os 21 e os de mil nove e 82 safam-se com uma admoestação e um tapinha no tutu. Os menores de 21 vão acabar por ser despachados com um “vá, beijinho à tia” e vai ser triste ver-vos a tratar-me por tia o resto da noite. Vai ser embaraçoso explicar isso aos vossos amigos. Digo eu… (e o que é mais fofinho é que eles começam mesmo a tratar por ‘tia’)

2.       Diz-me onde pões a mão e eu digo-te como vais acabar. Desde que me conheço por gente que sei ajeitar a minha roupa interior sozinha. Como tal é escusado ‘voluntariarem-se’ para me pôr as panties no sitio. Ou seja, a vossa mão não se deve deslocar abaixo da cintura. Quereis tocar? Vá… Uma mão na cintura assim a modos que disfarçada de ‘é só para me aproximar para me ouvires melhor que a música está alta’ é o máximo tolerado. Se estiver num espírito benemérito, sou capaz de perdoar até ao limite do cós das calças. Mais a sul que isso o mais certo, dependendo da mão, é valer-vos uma pisadela com os saltos ou um encontro de tirar o fôlego entre alguma parte dura da minha anatomia com o fecho das vossas calças.

3.       Tell me lies, tell me sweet little lies. Qualquer linha de engate que inclua a beleza estonteante dos meus olhos e sorriso ou, especialmente, que inclua as palavras ‘és uma mulher linda’ está off-limits. Poupem-se e poupem-me. Eu não sou bonita. Sou altamente comestível, sim. Sou Himalaias de interessante, confere. Mas linda não sou. Respeito muito mais um homem que me diga com savoir-faire e piada o que faria para me levar para a cama do que um que me diga que sou bonita. Mas assim por uma diferença abismal. É que eu detesto mentiras.

4.       No one gets left behind. É escusado que me peçam para deixar uma amiga sozinha num bar/discoteca/afim. No way. Not going to happen. É um deal breaker. Na remota eventualidade de eu considerar ser engatada num desses sítios, eu vou levar my girl a casa primeiro. Não vos apetece? Azarinhos. Eu nisso sou muito Marine e comigo ninguém fica para trás. Nem que fora o George Clooney a prometer beijar-me o corpo todo de formas nunca dantes imaginadas. Ou é nos meus termos ou não é de todo.

E assim, de repente, é tudo. Em caso de dúvida, não hesitem em perguntar. Eu estou aqui para esclarecer… Eu já vos disse que sou amiga, não disse?

4 comentários:

Fusão do Atomo disse...

Começo a ficar viciado nesta Tasca, não é normal ás 06.33 estar a comentar post, mas este merece.

Mente, estás em grande forma, nem o calor te amolece os neurónios.

Mente Quase Perigosa disse...

(Bolas... E agora? Eu não tenho nada de brilhante para deixar escrito para ele ler amanhã pela fresquinha...

Pensa, Mente, pensa...)

Capitão Microondas disse...

:) muito bom. Um leitor perde uns dias sem cá vir e quando volta vê logo que é verão. Não há duvidas.

Mente Quase Perigosa disse...

Captain, aqui é verão todos os dias!!! Pelo menos até ser Inverno... (gosto tanto destas frases à lá Lili Caneças...)