quinta-feira, 7 de outubro de 2010

"SE ESCRIBE PARA LLENAR VACÍOS, PARA TOMARSE DESQUITES CONTRA LA REALIDAD, CONTRA CIRCUNSTANCIAS."*

Eu poderia falar aqui sobre esse grande gaijo que é o Mario Vargas Llosa e o que feliz fiquei com o facto de ele ter recebido o Prémio Nobel da Literatura. Mas deixo isso para outros blogues.

É que a minha homenagem já foi feita na meia dúzia de referências ao Pedro Camacho nas duas últimas semanas. Antes – atentai no advérbio de tempo – do galardão ser atribuído.

(Man e agora vão reeditar os primeiros livros dele. Yes!)

*The man himself: Mario Vargas Llosa

3 comentários:

tereza disse...

E é desta que vou voltar a ter na estante o Tia Júlia. Vão reeditar os livros, tás a ver? Daqui a uns tempinhos já o encontras em qualquer prateleira ao pé de ti...

Mente Quase Perigosa disse...

(Eu podia dizer-lhe que sempre houve na Fnac. Podia dizer-lhe que estive com ele na mão nos anos dela e depois comprei o do George. Podia... Mas não vou dizer...)

tereza disse...

Cabra! Disseste que não havia.