terça-feira, 28 de julho de 2009

DIVAGANDO


Sentada quieta ao som do silêncio, revejo todo o percurso que segui até chegar aqui.

Revejo as curvas, as derrapagens, as travagens. Relembro os êxitos e os fracassos – e são sempre os fracassos que modelam a nossa vida, sempre.

Olho para trás e vejo que não tenho muito. Não sou milionária, não realizei os sonhos que tinha, não fiz tudo o que tinha planeado fazer por esta altura.

Mas, quando olho para trás, vejo também tudo o que eu não tinha sequer sonhado e que consegui. Vejo coisas que nunca imaginava possíveis e que se tornaram realidade. Vejo que a vida é uma magnífica viagem que nos surpreende em cada curva.

E, quando me deito à noite. Quando me sinto deslizar para o sono, não consigo deixar de esboçar um sorriso e de pensar que, mal ou bem, certo ou errado, idiota ou sensato, não me arrependo de nada. Mas é que de nada...

17 comentários:

Carrie disse...

Como eu compreendo tão bem este teu pensamento.

Já houve alturas da minha vida que não me continha e exibia diariamente um sorriso nos labios por tudo aquilo que tinha e pelo que não tinha mas poderia sonhar em ter.

Não faz muitos anos da primeira vez de que me apercebi, conscientemente, que a vida em si era uma dadiva fenomenal, uma viagem para aproveitar cada segundo e eu era uma previligiada porque tinha um lugar na fila da frente...é uma sensação sublime!

Infelizmente esse sentimento tem andado relativamente ofuscado por uma série de situações menos positivas, mas em ultima analise, está lá e eu sei que no fim...tudo se resolve a vida é uma alegria cor de rosa.

Adorei o post!

AnaT disse...

Mto bem! Gostei mesmo!

Mente Quase Perigosa disse...

Não é o que não tens que conta, Carrie. É o que tens e não esperavas.

"We all think we’re going to be great and we feel a little bit robbed when our expectations aren’t met. But sometimes expectations sell us short. Sometimes the expected simply pales in comparison to the unexpected. You got to wonder why we cling to our expectations, because the expected is just what keeps us steady. Standing. Still, the expected's just the beginning, the unexpected is what changes our lives."
(Anatomia de Grey)

Mente Quase Perigosa disse...

AnaT

;o)

Shana disse...

Pois olha que eu, que também sempre fui apologista dessa ideia de não me arrepender de nada, já começo a mudar de ideias quando olho para trás. Essa é que é essa!
Não adianta para nada e é pura perda de tempo mas que, às vezes, dá uma vontade de mexer no relógio do Criador, dá...

Mente Quase Perigosa disse...

Ai de ti que mudes de ideias!!! Mudares o teu passado, seria o mesmo que mudares quem és...

Temos pena, minha linda, mas não podes mudar, podes é aproveitar.

E isso, nós sabemos que o fizeste.

('Vamos a bailar?' E saber o que sebemos hoje... Isso é que era...)

Artur disse...

( Nada a ver mas tinha de comentar algures: eu quero responder ao inquérito: "Sou um homem anarca" )

Mente Quase Perigosa disse...

Já vou tratar de ti, Artur. Que não quero que te falte nada!

;o)

Mente Quase Perigosa disse...

Não posso alterar!!!!

Mas levarei isso em conta aquando da publicação de resultados.

E é SIM ou NÂO?

Carrie disse...

Mente, recebes o guião da anatomia de grey ou tens uma MENTE EFECTIVAMENTE PERIGOSA e memorizas quantidades infindáveis de informação?!

Se soubesse como, deixava-t eum smilie com os olhos esbugalhados de espanto!

Já agora, aproveito e informo that I got the message sister! :)

E é por isso que há uns tempos decidi expandir as minhas expectaivas e avisar o universo de que estou pronta para receber tudo aquilo a que tiver direito! :)
just in case....

Mente Quase Perigosa disse...

(Shiuuuu, Carrie!!! Tu sabes lá a trabalheira que eu tenho a convencer toda a gente que sou QUASE e vens tu e desmascaras-me????)

:p

P.S.: De certeza, que o Universo ouviu...

Abelha disse...

Mente Deslumbrante a tua...

Aproveito para a informar que dentro em breve estarei por aí para te lixar o juízo com "F" grande.

;)

Mário Rodrigues disse...

Mentequase...
Antes de ler os outros comentários, te digo que esse… esse é o caminho que tenho percorrido…
Todas as decisões estão contextualizadas, e naquela hora, foi aquela a melhor decisão, tendo em conta o contexto…
As curvas, os fracassos e as derrapagens foram… lições, de que devemos tirar proveito…
Os meus sinceros cumprimentos. Mário Rodrigues

Susete Evaristo disse...

Já não se pode ter um sentimento só nosso há logo uma mente perigosa a roubar-mos a fantasia.
Estou a brincar, mas na verdade eu penso realmente assim e que apesar de tudo sabe bem viver.
Continue assim.

Mente Quase Perigosa disse...

Abelha, cá te espero.

Mente Quase Perigosa disse...

Benvindo, Mário. Grandes lições é o que é.

Mente Quase Perigosa disse...

Benvinda, Suzete. Só sou Quase. Ainda não fui promovida a perigosa. Ainda...

;o)