domingo, 3 de agosto de 2008

AUSÊNCIA


A casa está demasiado vazia.
Os brinquedos demasiado arrumados.
Sobra-me tempo e espaço.

Falta-me gente nos braços.
Falta-me o impecilho quando me quero despachar.
Falta-me a exasperação a que me levas.

Sinto falta dos teus braços no meu pescoço.
Sinto falta das palavras atabalhoadas.
Sinto falta de que gastes a palavra 'mãe'.

Passou pouco mais que 48 horas e ainda falta mais uma semana e gostava de saber como pode alguém viver sem respirar tanto tempo.

Falta-me um orgão vital e esvaio-me lentamente até que voltes para fechar esta ferida aberta que tenho latente no meu peito.

2 comentários:

Ana Lucia disse...

Oh que dor. Podia tentar dar-te algum alento, mas aqui só te resta esperar. E ocupar a cabeça com coisas parvas, aproveita e lê, aproveita e dorme, aproveita e vê televisão. Sabes que ele está bem entregue! Um grande beijinho e que esta semana passe a correr.

Luz de Estrelas disse...

:( Força queridinha.